Relacionamentos


Ceder nos relacionamentos é importante para atingir a felicidade, é uma matéria do Portal Daquidali que teve a minha contribuição.

Para acessar, clique no link:

http://m.daquidali.com.br/touch/comportamento/ceder-nos-relacionamentos-e-importante-para-atingir-a-felicidade

Foto do portal Daquidali
Espero que gostem!

Abraços,

Fernanda Mion

Mapa é Mapa!

Olá, tudo bem?
Fonte da imagem: google
Se você é meu amigo, meu conhecido ou meu cliente já deve ter ouvido de mim a frase: "mapa é mapa"!
Aprendi essa frase em 2007 em um dos cursos de Programação Neurolingüística que participei. Desde então, isso passou a fazer muito sentido para mim. 

"Mapa é mapa" trata-se de uma analogia para explicar modelo mental de cada ser humano.

Imagine o mapa do Brasil. Agora imagine o mapa dos Estados Unidos.

O mapa é a representação de um território, certo?  E dentro de cada território existem estados, cidades, bairros... Agora pense: o que acontece quando um país invade o território do outro?

Conflito, não é?

O outro país irá se defender, e esta defesa acontecerá em forma de ataque. Enquanto um não levantar a bandeira branca, continuará havendo guerra.

Transferindo isso para o ser humano, podemos dizer que cada um tem um mapa e que, quando olhamos para alguém, é com ele que nos deparamos. O corpo é a representação desse território que abriga valores e crenças adquiridas ao longo da sua vida,  de acordo com as interpretações feitas daquilo que se viu, ouviu e sentiu ao longo dos anos. Forma-se assim, o seu modelo mental, o seu mapa!

O que acontece quando seu mapa é invadido? O que acontece quando você invade o mapa de alguém?

Defesa! Geralmente em forma de ataque.

Quando dizemos ao outro, coisas como: "Se eu fosse você, eu faria isso!"; "Você está errado!"; Você não sabe o que diz!"; "Você é isto, ou aquilo", a pessoa pode interpretar como uma invasão, e se defender.

Reparem que boa parte do nosso tempo, ouvimos e falamos assim com os outros. Ou seja, invadimos e somos invadidos com muita frequência e, para que este tipo de conflito seja evitado, o ideal é sermos flexíveis para entender especificamente o mapa alheio, fazendo isso sem julgamento e com um profundo respeito ao conhecer e compreender o outro.

Agindo com flexibilidade e respeito, você,  que já sabe que "mapa é mapa", provavelmente evitará dizer tais coisas para as outras pessoas e, se ouvir de alguém, provavelmente reagirá de forma diferente.

Perguntar para a pessoa "O que te faz pensar?", "O que te leva a crer?", "O que te impede de...?, fará com que você entenda o mapa da pessoa de uma forma mais específica e livre de generalizações, omissões e distorções que estamos sujeitos a cometer por falha na comunicação.

É comum escutarmos por aí que não é o que se fala, mas como se fala que fará com que a comunicação seja assertiva.

Não adianta...talvez você nunca consiga mudar mapa do outro. O que você pode fazer é conhecer o seu, tratar de esclarecer se você está livre de distorções e respeitar a maneira única de cada um interpretar os fatos.

Por um mundo de paz através das boas maneiras em se comunicar!

Abraços,

Fernanda Mion, Psicóloga Clínica
Master Practitioner em PNL
Formação em Hipnose.

Revisão do texto: Anny Karoline
Estudante de Psicologia
Universidade Mackenzie.