Pular para o conteúdo principal

30 anos: Descubra como superar a pressão para casar


Apesar da emancipação feminina, chegar aos 30 anos sem encontrar a cara metade ainda pesa para muitas mulheres. Mesmo aquelas que já conquistaram uma carreira de sucesso e vivem rodeadas de amigos, com companhia animada para baladas e viagens, encaram a idade como um alerta! E a pergunta "será que vou ficar para titia?", muitas vezes, pode atrapalhar a autoestima dessa balzaquiana. "No entanto, isso não é motivo para frustração ou preocupação. É uma fase natural, com todas as mudanças de uma sociedade contemporânea.

A crise dos 30 anos existe e pode desencadear quadros de ansiedade e depressão, devido à auto cobrança e os questionamentos externos que são inevitáveis. É comum a mulher sentir-se pressionada em atender a expectativa da família, em especial, aos pais que querem vê-la casada e com filhos. Apesar de toda a modernidade, ainda está meio que determinado que nessa faixa etária toda mulher deva casar e planejar a maternidade.

Porém, há quem opte por adiar tais compromissos, para dedicar-se a carreira por exemplo. É uma escolha e isso precisa ser respeitado. Até mesmo a crise dos 30, se vivida em equilíbrio, pode ser revertida em muitas conquistas. E a melhor maneira de superar essa fase é apostando no autoconhecimento, pois isso poderá dar subsídios para que a mulher encare as frustrações sem se abater tanto. Constituir uma família, comprar um imóvel ou carro, realizar uma viagem internacional ou investir na profissão são prioridades na vida de muitas. O fato de não conseguir alcançar qualquer um desses planos favorece uma sensação de vazio que pode aumentar com a idade. Mas o autoconhecimento pode ajudar qualquer pessoa a definir o que tem que ser feito primeiro e não desistir quando algo não der certo, pois isso faz parte do aprendizado.

Para que a mulher de 30 anos passe por essa fase sem peso na consciência e aproveite cada momento intensamente, reuni algumas dicas:

- Não se julgue! Muitas se sentem culpadas por não terem conseguido alcançar seus objetivos. E isso não faz bem! Enfrente e aceite a realidade, mantendo a autoestima e seguindo adiante;

- Quer casar? Não espere o príncipe encantado bater à sua porta. Saia com amigos, fique disponível para conhecer pessoas novas. Sem ficar obcecada! Naturalmente, irá conhecer alguém;

- Defina seus objetivos. Pergunte-se o que realmente deseja para a sua vida e avalie suas prioridades. Quer encontrar alguém, investir em um relacionamento sério? Lembre-se que terá que abrir mão de sua liberdade (o que para muitas isso é difícil), pois um relacionamento sério exige comprometimento;

- Mantenha autoconfiança. Este é o período em que os homens não te olham mais como uma menina e sim como mulher, use isso a seu favor! Aproprie-se de suas qualidades e mostre-a, sem receios!

Um abraço e tudo de bom para você!

Fernanda Mion

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que acontece na primeira consulta psicológica?

Olá caros amigos,

Resolvi escrever este texto após ter realizado uma consulta inicial de avaliação com uma moça que disse estar muito "nervosa" neste primeiro contato.

Tanto ela quanto outras pessoas já me revelaram que antes de ir ao consultório para uma avaliação psicológica, sentiram-se ansiosas, com dúvidas do tipo:


- Mas o que eu devo falar?
- Por onde eu devo começar?
- O que será que a psicóloga vai pensar de mim?
- Será que ela vai ficar me analisando?
- E se ela contar o que eu disser para alguém?

... entre outras, e muitas vezes sentem reações físicas, como: dores de cabeça e na barriga, suor excessivo, insônia, etc.

Para que estas reações e questionamentos não sejam impedimento para se procurar terapia, segue abaixo alguns esclarecimentos sobre o que acontece nesta primeira consulta.

Nós psicólogos, consideramos as primeiras consultas como um período de avaliação. É quando nos conhecemos pessoalmente, conhecemos as queixas e elaboramos um planejamento para ser s…

Conheça as principais linhas terapêuticas e decida qual a melhor para você:

Se você já procurou por algum profissional da minha área, já deve ter notado que alguns psicólogos são psicanalistas, outros Junguianos, outros trabalham com psicoterapia breve, psicoterapia cognitivo comportamental, outros com Gestalterapia, outros analistas comportamentais e etc

... Mas afinal, qual é a melhor para você? Qual linha de terapia você deve buscar???

Primeiro acredito ser importante ressaltar que estas diferentes linhas terapêuticas são as especializações dos psicólogos, que as escolhem muitas vezes por identificação pessoal. O que é importante salientar é que independente da linha que o psicólogo segue nos processos terapêuticos, todas possuem o mesmo objetivo em comum: "Ajudar" e "acolher" quem nos procura e acompanhar o seu desenvolvimento. Além disso, todas as linhas têm o seu mérito e buscam os resultados para os diversos tipos de sintomas, como por exemplo: Estresse, ansiedade, depressão, fobias,  traumas, conflitos, dificuldades nos relacionam…

Mapa é Mapa!

Olá, tudo bem?

Se você me conhece, já deve ter ouvido de mim a frase: "mapa é mapa"!
Trata-se de uma analogia para explicar modelo mental de cada ser humano.

Imagine o mapa do Brasil. Agora imagine o mapa dos Estados Unidos.

O mapa é a representação de um território, certo?  E dentro de cada território existem estados, cidades, bairros... Agora pense: o que acontece quando um país invade o território do outro?
Conflito, não é?
O outro país irá se defender, e esta defesa acontecerá em forma de ataque. Enquanto um não levantar a bandeira branca, continuará havendo guerra.
Transferindo isso para o ser humano, podemos dizer que cada um tem um mapa e que, quando olhamos para alguém, é com ele que nos deparamos. O corpo é a representação desse território que abriga valores e crenças adquiridas ao longo da sua vida,  de acordo com as interpretações feitas daquilo que se viu, ouviu e sentiu ao longo dos anos. Forma-se assim, o seu modelo mental, o seu mapa!
O que acontece quando s…