Sabedoria

Fonte da imagem: Google

Quando ficamos presos ao passado ressentimos o que aconteceu como se estivéssemos lá. Afinal, estamos onde nossa mente está e muitas de nossas reações impulsivas das quais nos arrependemos depois nascem deste ressentimento.

Ressentir é sentir de novo o que já passou, é dar as costas para o futuro e esquecer o presente. Ressentimento é uma emoção e não um fato, o fato aconteceu lá traz, a diferença é o significado que damos a este fato.

Lembrar coisas boas nos dá ânimo para continuar, ressentir mágoas, raiva e ódio nos corroe literalmente, pois se refletem em nosso corpo, ocasionam doenças físicas e emocionais.

Emoções negativas, contidas e ressentidas destroem a vida, cegam os mais belos olhos, ensurdecem os mais ávidos ouvidos, param os mais saudáveis corações. Privam de prosperidade um filho de Deus.

Deixar de ressentir e se libertar é uma atitude de inteligência e a atitude que neutraliza o ressentimento se chama perdão... Então, o perdão é um ato de inteligência. O ressentimento é a escuridão, o perdão a sua luz.

O perdão antes de tudo é um ato de auto amor, de auto-preservação e de auto compreensão. Não é o outro que mais ganha, somos nós. Muitos confundem o perdão com outras atitudes e coisas, por isso, deixam de perdoar.

Muitos criam objeções ao perdão, porque acreditam que se perdoassem estariam concordando com o comportamento prejudicial que violou seus valores. Isso não é verdade...

Acreditam que o perdão eliminaria a função positiva, como, evitar a repetição do comportamento inadequado. O perdão é interno e não significa concordar com o comportamento do outro ou deixar de evitar a repetição desse comportamento.

Perdão é uma atitude racional que liberta nosso emocional... Separe a função positiva aparente da raiva da função positiva efetiva do perdão. Aparentemente a raiva nos liberta, na verdade nos prende. Aparentemente o perdão é renuncia, na verdade é libertação.

O perdão é uma atitude de inteligência. Pense: como é ressentir e remoer algo que aconteceu em seu passado? Agora, pense: Como seria se você tivesse perdoado? Responda: O que é mais saudável e mais inteligente para você?

Para perdoar inteligentemente, liberte-se da necessidade de se zangar, de brigar, de ressentir e ofereça respostas comportamentais específicas para realizar essa função protetora, isto é, haja racionalmente de acordo com a situação. Por isso que dizemos: quem berra perde a razão...

O perdão antes de tudo é um “deixar ir”, uma permissão para o desprendimento, um libertar-se de algo. E isso é uma libertação de si próprio que liberta os outros. Quem quer ficar preso a algo que faz mal a si mesmo?

Muitos guardam ressentimentos de pessoas que já se retiraram de sua vida ou que até já não fazem mais parte desse mundo. O que há de bom para você nesse ressentimento? Se, não há nada de bom o que te impede de perdoar?

Lembre-se, antes de perdoar tem que se querer, esse é o primeiro passo. Perdoar os outros ou a si próprio não significa aceitar o comportamento que nos prejudicou ou prejudicou a outros, nem renunciar valores que foram violados.

Perdoar é uma atitude de inteligência que traz paz e solução para sua vida. Então se pergunte: Você quer solucionar esta situação interiormente? Você quer se livrar deste fardo?

Perdoar tem mais a ver com você do que com o outro, podemos perdoar sem haver reconciliação são coisas diferentes, o perdão é interior, ocorre em nosso mundo mental.

Perdoar é uma atitude de inteligência, é uma religião no sentido mais próprio da palavra, isto é, religar-se a Deus pela compreensão de si mesmo, do outro e de uma situação. Compreender é diferente de concordar, entender é diferente de permitir que a situação se repita.

O perdão nasce da compreensão que promove a libertação e ambas são sementes da mais pura sabedoria. Perdoe e liberte-se!

(autor desconhecido, se alguém conhecer a autoria, por favor, me informe para eu mencioná-lo)

Um abraço

Fernanda Mion
fernanda@fernandamion.com

Pergunte-se...


As vezes nos sentimos sós em meio a multidão: Que bom seria se nos perguntássemos:

O que tenho feito de bom aos outros e a mim mesmo?

O que não tenho feito aos outros e a mim mesmo?

O que me leva a achar que sempre o outro é culpado?

O que posso fazer para melhorar meus relacionamentos?

Então, percebemos que antes de nos relacionarmos com os outros, devemos aprender a nos conhecer melhor, algo que os cientistas ultimamente chamam de relacionamento intra-pessoal; ou seja, o auto conhecimento, a capacidade de relacionamento consigo mesmo, a habilidade de administrar sentimentos e emoções.

Por acaso eu me conheço realmente?

O que sei de meus pensamentos, sentimentos e emoções?

Como anda minha auto-estima?

O que posso fazer por mim para ser um pouco mais feliz hoje?

Aí descobrimos que aquilo que o Mestre falou é uma eterna verdade: ame ao seu próximo como a si mesmo! Afinal, como alguém que não se ama pode amar o outro?

O que me impede de me amar?

Se há algo em mim que não gosto, o que me impede de mudar?

Será que o universo é injusto e alguém merece mais do que eu?

Será que Eu, como herdeiro da criação tenho o direito de negar meu merecimento?

Merecemos tudo, inclusive nosso próprio amor. O sol nasce para todos e talvez a diferença esteja em estarmos atentos para perceber essa maravilha e valorizá-la: tudo começa em nós.

O que tenho feito para que os outros me queiram bem?

Como tenho agido com meus filhos, cônjuges, amigos, companheiros de trabalho e até mesmo com desconhecidos?

Quando encontro alguém, eu de coração, sorrio e desejo um bom dia? Eu ouço atentamente o que os outros têm a me dizer?

Na verdade, aos poucos descobrimos que os outros são nossos espelhos e nos devolvem a luz, as ações e os sentimentos que lhe passamos. Vamos pensar juntos, pergunte-se: quando foi a última vez que ajudei alguém sem interesse? Quando disse: “Eu te amo!”, a alguém? Tenho respirado fundo e usado a ferramenta do silêncio por dez segundos antes de responder a uma provocação? Tenho realmente aceito o outro como ele é?

Aos poucos vamos percebendo que tudo na vida depende da forma como vemos as coisas; que tudo começa e depende de nós; que recebemos dos outros aquilo que oferecemos; que um sorriso é mais importante que o dinheiro; que relacionamentos felizes são aqueles que começam pela nossa atitude; que ao trazermos tudo isso para nossa vida, nem mesmo em uma ilha deserta estaremos sós.

(autor desconhecido)

Um grande abraço


Fernanda Mion

Vamos treinar nosso cérebro?

Para exercitar e expandir sua inteligência...

Este quadro abaixo é uma ferramenta de integração dos  hemisférios cerebrais, aproveite:


Minha página no facebook

Olá amigos,

Criei uma página no facebook, para divulgar informações sobre meu trabalho, cursos, palestras e ainda dividir meus pensamentos através desta maravilhosa rede social.

A página é diferente do perfil onde adicionamos os amigos e passamos a receber informações um do outro no feed de notícias. Na página, para você receber os conteúdos adicionados, é necessário clicar no botão CURTIR. (Como este na figura abaixo):


Algumas pessoas já curtiram, vejam:




Para acessá-la o endereço é: http://www.facebook.com/fernandamionpsicologaeconsultora

Ficarei muito feliz com a sua participação. Espero poder contribuir de maneira positiva em sua vida através de assuntos relevantes e de interesse geral relacionados a psicologia.

Obrigada!

Abraços

Fernanda Mion

Meu novo logotipo

Olá amigos,

Quero apresentar o meu novo logotipo. A minha nova marca que considero uma nova etapa em minha vida.


Mudanças são oportunidades como diz o ditado, e com esta nova marca quero ter a oportunidade de mostrar ainda mais a minha verdadeira identidade e minhas boas intenções em realizar o meu trabalho.

Neste post quero que vocês conheçam as intenções das cores e do símbolo propostas pelos rapazes que a elaboraram da Avy Comunicações. São elas:

Termos base da criação

As criações se basearam em alguns fatores que resumem os objetivos do trabalho como psicóloga e os desejos de quem procura o auxílio de uma profissional desse ramo:

Ajuda (para problemas físicos e /ou psicológicos);
Bem – estar (na vida pessoal e /ou profissional);
Qualidade de vida (viver em equilíbrio pessoal e com a sociedade como um todo);
Felicidade (busca constante de todas as pessoas e decorrente do conjunto de fatores citados acima).

As cores escolhidas e seus significados:

O VERDE

O verde é uma cor que transmite tranquilidade, equilíbrio, paz e bem-estar. Segundo definições, o verde é a cor que procuramos quando estamos deprimidos ou acabamos de viver um trauma. É uma cor que cria um sentimento de conforto e calma colaborando para a paz interior.

O VIOLETA / ROXO

O violeta / roxo são cores que transmitem sinceridade, purificação e transformação. Segundo definições, essas são cores associadas à transformação mental – combatem medos e contribuem para a paz. Frequentemente utilizadas para efeitos de “limpeza” para transtornos emocionais. Fortes aliadas para a purificação e cura dos níveis físicos, emocional e mental.

O Símbolo utilizado:

Na maioria dos casos, quando uma pessoa busca ajuda psicológica, independente do motivo, é uma pessoa que está de certa forma presa a algo, por exemplo: um trauma, um vício, um conflito, alguma passagem da infância ou outra fase da vida que tenha sido marcante negativamente. Se essa pessoa está presa (no sentido de não desenvolver suas atividades normalmente, não conseguir desempenhar suas atividades profissionais, não conseguir conviver harmonicamente em sociedade) o objetivo dela é a liberdade. Liberdade no sentido de libertar-se daquele problema que a impede de viver melhor, de um modo mais saudável. Por isso, como representação dessa liberdade utilizamos o conceito do vôo de um pássaro. Há algo que simbolize melhor a liberdade do que um pássaro voando?

Assim que eles me mostraram o projeto e o seu significado, eu concordei de imediato. Espero que vocês tenham gostado. Conto com seus comentários e sugestões.

Muito obrigada 

Fernanda Mion

Hipnoterapia


TERAPIA COM HIPNOSE

As técnicas de Hipnose têm sido cada vez mais utilizadas e com muito sucesso para casos como: Mudança de hábitos e comportamentos indesejáveis, tratamento de obesidade e tabagismo, resgate da auto-estima, melhorar o desempenho da memória, eliminar a ansiedade, medos, fobias, depressão, stress, entre outros...


Mas afinal, o que é Hipnose?

É uma técnica que permite as pessoas acessarem recursos até então inconscientes, para aumentar suas capacidades e gerar mudanças comportamentais. É a mente inconsciente o local onde ficam armazenadas nossas lembranças e percepções ao longo da vida, e é justamente aí onde a Hipnose atua.

Como a Hipnose pode te ajudar?

A Hipnose vai além da mente consciente, ela traz à tona os recursos inconscientes, tornando-os disponíveis, oferencendo ao paciente a oportunidade de resolver o seu problema.

O que é Transe Hipnótico?

O Transe hipnótico é um estado consciente onde a atenção é voltada para o interior dos nossos pensamentos e sentimentos. Quanto maior a atenção para o interior, menor fica a atenção para o consciente, até chegar ao "transe", que é um estado mais profundo de relaxamento.  Diferente de quando dormimos, durante o transe permanecemos acordados o tempo todo.

É comum entrarmos em um estado de transe hipnótico, um exemplo disso é quando dirigimos um carro e não lembramos que estamos dirigindo, como se estivéssemos ligados no "piloto automático". Outro exemplo é quando uma pessoa fala com você e você não escuta. Quando está envolvido em um filme ou uma leitura onde todas as outras coisas parecem bloqueadas. Pois é, se você se identificou com alguns destes exemplos, saiba que você já esteve sob Transe Hipnótico.

No estado de Transe a pessoa sente-se profundamente motivada a captar as mensagens do inconsciente, possibilitando uma maior concentração nessas mensagens.

Como reconhecer se a pessoa está em um estado de transe?

O hipnotizador tem a possibilidade de perceber em seu paciente algumas reações em seu comportamento, e o próprio paciente também pode perceber. As mais comuns são:

- Relaxamento muscular;
- Voz grave e lenta;
- Relaxamento facial; 
- Respiração e batidas cardíacas mais lentas;
- Sensação de paz;
- Movimentos oculares (mesmo com os olhos fechados);
- Reflexos mais lentos;

Chamamos estas reações de MCRI (Manifestações comportamentais de respostas internas).

Algumas pessoas entram em transe facilmente, outros requerem maior atenção e métodos dedicados para consegui-lo.

Hipnose Ericksoniana:

É um método que utiliza linguagens incoscientes, como: tom de voz, ritmo da fala e da respiração, postura do corpo para favorecer a indução ao transe e mantê-lo.

Nesta abordagem, o paciente tem a liberdade de escolher o tipo de experiência que ele quer ter e este é o grande diferencial, pois em nenhum momento se entra em choque com seus valores, crenças e opiniões, respeitando assim o seu modelo de mundo, partindo do princípio que por traz de todo comportamento existe uma intenção positiva e que cada pessoa faz as escolhas que estão a sua disposição no momento. 

Considerações importantes:

É importante ressaltar que em nenhum momento durante a técnica é perdido a consciência. Mesmo sob estado de transe profundo, a mente conserva um sentido de vigilância, sendo assim, não há perigo da pessoa não retornar deste estado.  Além disso, a pessoa  não age e nem fala nada contra sua vontade.

Como a hipnose consiste em uma poderosa técnica que se comunica com a mente inconsciente, somente pessoas habilitadas e treinadas devem aplicar.

É claro que estarei à disposição para quaisquer esclarecimentos, sinta-se à vontade para entrar em contato comigo.
Abraços

Fernanda Mion