6 de nov de 2011

Relacionamentos


Recentemente recebi esta crônica escrita por Rubem Alves sobre relacionamentos entre casais, gostei muito e resolvi postar alguns trechos aqui.

Nos faz pensar... Estamos nos relacionando com quem amamos como se estivéssemos jogando tênis ou frescobol? 

Recomendo a leitura:

Fonte da imagem: Google

"TÊNIS x FRESCOBOL"

Depois de muito meditar sobre o assunto concluí que os relacionamentos (namoro, noivado, casamento, etc.) são de dois tipos: existem os relacionamentos do tipo tênis e os relacionamentos do tipo frescobol. Os relacionamentos do tipo tênis são uma fonte de raiva e ressentimentos e terminam sempre mal. Os relacionamentos do tipo frescobol são uma fonte de alegria e têm a chance de ter vida longa.

Explico-me. Para começar, uma afirmação de Nietzche,com a qual concordo inteiramente. Dizia ele: “Ao pensar sobre a possibilidade do casamento, cada um deveria se fazer a seguinte pergunta: Você crê que seria capaz de conversar com prazer com esta pessoa até sua velhice?”

Tudo o mais nos relacionamentos é transitório, mas as relações que desafiam o tempo são aquelas construídas sobre a arte de conversar.”

Xerazade sabia disso. Sabia que os relacionamentos baseados nos prazeres da cama são sempre decapitados pela manhã, terminam em separação, pois os prazeres do sexo se esgotam rapidamente, terminam na morte, como no filme O Império dos Sentidos. Por isso, quando o sexo já estava morto na cama, e o amor não mais se podia dizer através dele, ela o ressuscitava pela magia da palavra: começava uma longa conversa sem fim, que deveria durar mil e uma noites. O sultão se calava e escutava as suas palavras como se fossem música. A música dos sons ou da palavra – é a sexualidade sob a forma da eternidade: é o amor que ressuscita sempre, depois de morrer. Há os carinhos que se fazem com o corpo e há os carinhos que se fazem com as palavras. E contrariamente ao que pensam os amantes inexperientes, fazer carinho com as palavras não é ficar repetindo o tempo todo: “Eu te amo…”

Barthes advertia: Passada a primeira confissão, "eu te amo" não quer dizer mais nada. É na conversa que o nosso verdadeiro corpo se mostra, não em sua nudez anatômica, mas em sua nudez poética. Recordo a sabedoria de Adélia Prado: “Erótica é a alma”.

O tênis é um jogo feroz. O seu objetivo é derrotar o adversário. E a sua derrota se revela no seu erro: o outro foi incapaz de devolver a bola. Joga-se tênis para fazer o outro errar. O bom jogador é aquele que tem a exata noção do ponto fraco do seu adversário, e é justamente para aí que ele vai dirigir sua cortada – palavra muito sugestiva, que indica o seu objetivo sádico, que é o de cortar, interromper, derrotar. O prazer do tênis se encontra, portanto, justamente no momento em que o jogo não pode mais continuar porque o adversário foi colocado fora de jogo. Termina sempre com a alegria de um e a tristeza de outro.

O frescobol se parece muito com o tênis: dois jogadores, duas raquetes e uma bola. Só que, para o jogo ser bom, é preciso que nenhum dos dois perca. Se a bola veio meio torta, a gente sabe que não foi de propósito e faz o maior esforço do mundo para devolvê-la gostosa, no lugar certo, para que o outro possa pegá-la. Não existe adversário porque não há ninguém a ser derrotado.

Mas não tem importância: começa-se de novo este delicioso jogo em que ninguém marca pontos… A bola: são nossas fantasias, irrealidades, sonhos sob a forma de palavras. Conversar é ficar batendo sonho pra lá, sonho pra cá…

Mas há casais que jogam com os sonhos como se jogassem tênis. Ficam à espera do momento certo para a cortada. Tênis é assim: recebe-se o sonho do outro para destruí-lo, arrebentá-lo, como bolha de sabão… O que se busca é ter razão e o que se ganha é o distanciamento. Aqui, quem ganha sempre perde.

Já no frescobol é diferente: o sonho do outro é um brinquedo que deve ser preservado, pois se sabe que, se é sonho, é coisa delicada, do coração. O bom ouvinte é aquele que, ao falar, abre espaços para que as bolhas de sabão do outro voem livres.

Bola vai, bola vem – cresce o amor… Ninguém ganha para que os dois ganhem. E se deseja então que o outro viva sempre, eternamente, para que o jogo nunca tenha fim…

Para ler na integra, clique aqui: http://www.rubemalves.com.br/tenisfrescobol.htm 

 Abraços

Fernanda Mion

 

30 de out de 2011

Orientação psicológica para pais de adolescentes

Fonte da imagem: Google

Criar um filho exige grande doses de talento. Quando pequeno, ensinamos a comer, se vestir, lavar as mãos, escovar os dentes, tomar banho, amarrar os sapatos, andar de bicicleta, se relacionar, se comportar e ser uma pessoa civilizada. Porém, quando chega a fase da adolescência a lista de coisas que eles precisam aprender com os pais, aumentam ainda mais. Coisas como: procurar um emprego, dirigir, lavar roupa, preparar refeição, lidar com dinheiro, adminstrar o tempo entre tantas outras coisas. Nesta fase o adolescente é capaz de realizar tantas coisas, que nós pais normalmente esquecemos que eles não são capazes de tudo!

Neste período em que tenho sido terapeuta, tive a oportunidade de conhecer diversos pais de adolescentes, que amam seus filhos, querem ter um relacionamento positivo com eles, mas sentem-se inseguros no exercício de suas funções de pai e mãe, perguntando-se: “O que estou fazendo de errado” ou não sabem o que fazer e vão somando mal entendimentos, agressões verbais e em alguns casos, físicas também, irritações, mágoas, reesentimentos que fazem com que cada vez mais se aumentem a distância entre pais e filhos.

Nós adultos temos uma crença de que criar filhos adolescentes é difícil e por acreditarmos nisso passamos a atuar como se isso fosse uma verdade absoluta, quando não é! Um exemplo disso é o fato de que muitos pais passam por essa fase de forma tranqüila, sabem lidar com as características da idade, o relacionamento com filhos adolescentes é de amizade e de grande ensinamento, pois aprendem cada vez mais a exercitarem sua paciência e ainda de grado, sentem que a casa está cheia de vida, de amigos e de entusiasmo.Já aqueles pais que acreditam ser difícil criar filhos adolescentes, acabam desistindo de se relacionar, recorrem a castigo, ameaças e ao autoritarismo e passam a contar o dia desta fase passar.

O que eu tenho aprendido ao longo da minha carreira é que, quanto mais os pais estiverem preparados, se abastecendo de informações, o relacionamento com o filho adolescente não será mais difícil do que aquele que temos com qualquer outra pessoa.

A orientação psicológica, oferecida a pais de adolescentes, tem a intenção de orientá-los na arte de se relacionar com seus filhos. Mesmo quando o relacionamento com seu adolescente parece perdido, vocês poderão recorrer a vários recursos que serão trabalhados para ajudá-los a reconstruir os laços afetivos.

A ideia é que os pais vençam, persistam, tirem lições com as dificuldades e aprendam o jeito especial de dar conselhos e estímulos apenas nas doses necessárias. Toda essa vontade em aprender, a evolução e amadurecimento, terão recompensas inestimáveis  e propiciarão o privilégio de ver emergir um jovem adulto e, entãoterão motivos para se sentirem orgulhosos.

Lembrem-se: seus filhos adolescentes contam com vocês, apesar de nunca terem dito abertamente.

As sessões poderão ser com um dos pais, o casal ou em grupo, ou seja, com outros pais e mães
 interessados em trocar experiencias e dividir histórias.

Entre em contato através do telefone:(11) 3492-3278 / 97693-5449 Claro / 98418-5275 Tim  ou e-mail: fernanda.mion@gmail.com

Outros trabalhos com adolescentes:

- Psicoterapia individual;
- Psicoterapia em grupo;
- Orientaçao Vocacional e Profissional;




Qualquer dúvida e ou esclarecimentos, estarei à disposição
 
Um abraço



Fernanda Mion



23 de out de 2011

Teste o seu cérebro V

Nosso cérebro realmente é um órgão enigmático, incrível, causador de extrema curiosidade, que apesar do avanço científico, muito do seu funcionamento continua um mistério.

Como gosto do assunto, começei a postar em uma das redes sociais que participo www.facebook.com/fernandamionpsicologaeconsultora), algumas figuras com ilusões de ótica que demonstram de certa forma como o nosso cérebro funciona. Percebi que muitos das pessoas que participam desta minha página, manifestam suas reações ao perceberem os efeitos que tais figuras causam. Por mim e por estas pessoas, meu interesse e meu encantamento pelo funcionamento do cérebro, aumenta cada dia mais.

Recentemente está sendo aprensetando no canal National Geographic um programa chamado: Teste o seu cérebro. O programa possui a proposta de demonstrar como o nosso cérebro funciona através de truques de mágica (ilusionismo), ilusão de ótica e hipnose.

Virei fã!

Selecionei alguns destes filmes e postei aqui para os interessados.

Neste post, o vídeo está em espanhol e sem lengenda, porém é possível entender a proposta de cada situação.

A primeira situação, trata-se de um truque de ilusionismo. O teste é: Temos que contar quantas vezes os dançarinos pisam fora do círculo de luz. Confiram o que vai acontecer...

A segunda situação refere-se a um teste de cores. Temos que falar as cores sem ler o que está escrito.

A terceira situação, apresenta um neurocientista chamado Amir Raz, que demonstra que com a hipnose conseguimos manipular a nossa atenção. Sugeriu que a voluntária sentisse calor em um lugar com temperatura abaixo de zero e que ela  se esquecesse do número 4 (quatro) em uma contagem de 1(um) a 10 (dez). Com uma outra voluntária, ele sugeriu que ela fizesse o mesmo teste das cores, sob o estado da hipnose, sugerindo que ela se esquecesse sobre a maneira como se escreve as cores demonstrada na imagem. Percebam como ela fez o teste mais rapido do que a média.

Para finalizar o programa, os apresentadores demonstram ainda alguns outros truques que desviam a nossa atenção.

Vale a pena conferir:






Eu tenho o teste das cores em portugues aqui em meu blog, o link é: http://www.fernandamionpsicologa.com.br/2011/07/vamos-treinar-nosso-cerebro.html

Fiquem à vontade para comentar.

Abraços

Fernanda Mion

Teste o seu cérebro IV

Nosso cérebro realmente é um órgão enigmático, incrível, causador de extrema curiosidade, que apesar do avanço científico, muito do seu funcionamento continua um mistério.

Como gosto do assunto, começei a postar em uma das redes sociais que participo (www.facebook.com/fernandamionpsicologaeconsultora), algumas figuras com ilusões de ótica que demonstram de certa forma como o nosso cérebro funciona. Percebi que muitos das pessoas que participam desta minha página, manifestam suas reações ao perceberem os efeitos que tais figuras causam. Por mim e por estas pessoas, meu interesse e meu encantamento pelo funcionamento do cérebro, aumenta cada dia mais.

Recentemente está sendo aprensetando no canal National Geographic um programa chamado: Teste o seu cérebro. O programa possui a proposta de demonstrar como o nosso cérebro funciona através de truques de mágica (ilusionismo), ilusão de ótica e hipnose.

Virei fã!

Selecionei alguns destes filmes e postei aqui para os interessados. Confiram:


Você é um bom multi-tarefas? Jogue este jogo e descubra!



 
Repare como a nossa atenção é focada! Não conseguimos perceber tudo o que está a nossa volta. Não somos tão multi-tarefas como pensamos!

Fiquem à vontade para comentar.

Abraços

Fernanda Mion

Teste o seu cérebro III

Nosso cérebro realmente é um órgão enigmático, incrível, causador de extrema curiosidade, que apesar do avanço científico, muito do seu funcionamento continua um mistério.

Como gosto do assunto, começei a postar em uma das redes sociais que participo (www.facebook.com/fernandamionpsicologaeconsultora), algumas figuras com ilusões de ótica que demonstram de certa forma como o nosso cérebro funciona. Percebi que muitos das pessoas que participam desta minha página, manifestam suas reações ao perceberem os efeitos que tais figuras causam. Por mim e por estas pessoas, meu interesse e meu encantamento pelo funcionamento do cérebro, aumenta cada dia mais.

Recentemente está sendo aprensetando no canal National Geographic um programa chamado: Teste o seu cérebro. O programa possui a proposta de demonstrar como o nosso cérebro funciona através de truques de mágica (ilusionismo), ilusão de ótica e hipnose.

Virei fã!

Selecionei alguns destes filmes e postei aqui para os interessados. 


Reparem o que os ilusionistas demonstram para nós:




Não temos a capacidade de prestar atenção em tudo ao nosso redor como pensamos!

Fiquem à vontade para comentar.

Um abraço

Fernanda Mion

Teste o seu cérebro II

Nosso cérebro realmente é um órgão enigmático, incrível, causador de extrema curiosidade, que apesar do avanço científico, muito do seu funcionamento continua um mistério.

Como gosto do assunto, começei a postar em uma das redes sociais que participo (www.facebook.com/fernandamionpsicologaeconsultora), algumas figuras com ilusões de ótica que demonstram de certa forma como o nosso cérebro funciona. Percebi que muitos das pessoas que participam desta minha página, manifestam suas reações ao perceberem os efeitos que tais figuras causam. Por mim e por estas pessoas, meu interesse e meu encantamento pelo funcionamento do cérebro, aumenta cada dia mais.

Recentemente está sendo aprensetando no canal National Geographic um programa chamado: Teste o seu cérebro. O programa possui a proposta de demonstrar como o nosso cérebro funciona através de truques de mágica (ilusionismo), ilusão de ótica e hipnose.


Virei fã!

Selecionei alguns destes filmes e postei aqui para os interessados.


Este é sobre mudança súbida. Mesmo em inglês e sem legenda dá para ter um total compreendimento. Será que o nosso cérebro está preparado para notar mudanças que ocorrem em frente aos nossos olhos?  Vejam:



Fiquem à vontade para comentar.

Abraços

Fernanda Mion

Teste o seu cérebro

Nosso cérebro realmente é um órgão enigmático, incrível, causador de extrema curiosidade, que apesar do avanço científico, muito do seu funcionamento continua um mistério.

Como gosto do assunto, começei a postar em uma das redes sociais que participo (www.facebook.com/fernandamionpsicologaeconsultora), algumas figuras com ilusões de ótica que demonstram de certa forma como o nosso cérebro funciona. Percebi que muitos das pessoas que participam desta minha página, manifestam suas reações ao perceberem os efeitos que tais figuras causam. Por mim e por estas pessoas, meu interesse e meu encantamento pelo funcionamento do cérebro, aumenta cada dia mais.

Recentemente está sendo aprensetando no canal National Geographic um programa chamado: Teste o seu cérebro. O programa possui a proposta de demonstrar como o nosso cérebro funciona através de truques de mágica (ilusionismo), ilusão de ótica e hipnose.

Virei fã!

Selecionei alguns destes filmes e postei aqui para os interessados. Vejam só:


Teste do roubo:

Conte o número de objetos que são roubados ao longo deste vídeo:

(Mesmo em inglês e sem legenda, dá para realizar o teste com entendimento)





Fiquem à vontade para comentar.

Abraços

Fernanda Mion

14 de out de 2011

O que você quer escrever em uma folha em branco?

Uma linda mensagem de Nelson Sganzerla


O fascínio de uma folha em branco…


Fonte da imagem: Google


“Assim eu acho que é a vida, quando por aqui chegamos, uma folha em branco, para que nela possamos escrever a nossa história. Óbvio que para um escritor a apresentação de uma folha em branco é muita mais instigante e fascinante que para quem não possui o dom da escrita.

Para um poeta a mesma folha em branco lhe aparece dividida em versos, que saltam aos seus olhos e à sua mente.


Em uma folha em branco, Freud o pai da psicanálise escreveu suas obras; Nietzsche a partir de uma folha em branco escreveu “Assim falou Zaratustra”; Shakespeare escreveu Otelo, Romeu e Julieta.


E para você… o que lhe parece ser uma folha em branco? Com quantas folhas em branco você já se deparou em sua vida e perdeu a chance de escrever a sua história, que possivelmente é a mais importante história que você tenha lido, ou poderá ler. Através dela, você possibilita que participem todos que acompanham sua existência.


Perceba a importância de uma folha em branco, coloque-a em frente aos seus olhos e procure imaginar as infinitas possibilidades de histórias que lhe são oferecidas, histórias de amor, de alegria, de bem querer, de sucesso, de convivência feliz, ao escrever cada parágrafo daquilo que você mais quer e ama.


Ao se deparar com uma folha em branco, da próxima vez, olhe-a profundamente e deixe que seus pensamentos fluam como água em uma bica; deixe-os verter e correr montanha, colina ou serra abaixo, deixando marcas por onde passa; procure não deixar a folha da história da sua vida em branco, pois se assim o fizer, não estará permitindo que outros façam parte da sua vida e estará interrompendo um ciclo importante aqui na Terra, que não cabe a você fazê-lo.


Procure deixar o seu legado escrito nessa folha, não importa qual seja ou o que seja, mas deixe-o… as pessoas que virão, irão querer saber quem foi você… E precisarão também decidir se você será o espelho a refletir nas histórias de suas vidas, através daquilo que deixar escrito em sua historia de vida, na sua folha em branco.


Não queira escrever em sua folha em branco somente vitórias. Isso não será possível… Ninguém aqui na Terra conseguirá viver só de vitórias, tolo é quem assim pensar; mas procure escrever e evidenciar em letras maiúsculas para que todos possam ler as suas vitórias que foram realmente importantes e como você fez para realizá-las e se ainda não as realizou; procure escrever também como irá fazer para realizá-las, isso será muito importante para que as pessoas que lhe querem bem saibam.


Procure não omitir os dias de tristeza que teve que passar, dias de dificuldades, que só você bem lá dentro no cantinho da alma sabe quais foram e muito lhe custaram, de choro e lágrimas, às vezes, sozinho no silêncio do seu quarto, mas escreva também como conseguiu enfim… Depois de tudo, abrir a janela e deixar o sol entrar e trazer de volta ao seu olhar o brilho da felicidade e da esperança por ter aprendido, embora com a tristeza, o verdadeiro significado de viver.


Esse é o fascínio que uma folha em branco exerce sobre nós: a oportunidade de escrever a nossa história de vida… Só não escreva nessa folha histórias que você não acredita do tipo: embasado na mentira ou na injustiça, na arrogância, no orgulho, na intolerância e com isso vir a causar sofrimento de outro ser humano.


Também não queira parecer um salvador ou contar vantagens e usar de falsa modéstia. É lógico que a folha da sua vida tudo aceitará, afinal, uma folha em branco tudo aceita para lhe fazer valer o livre-arbítrio.


Mas não se engane, em algum momento, a vida irá lhe cobrar e talvez você não possa pagar, nem com todo o ouro do mundo, aquilo de mal que fizer aos outros e também a você.


Mas creia, é fascinante ter uma folha em branco diante de nós. Óbvio que é preciso coragem para começar a escrever. Muitas vezes, você terá que apagar e começar tudo de novo. Não fique triste… ao contrário do que dizem, a vida nos permite começar de novo, desde que seja sincero e queira de fato fazê-lo, lembra-se do rascunho?


A vida ainda lhe permite isso… antes da história final, você poderá mudar, apagar e consertar o que quiser. Tudo é possível, desde que você queira mudar.


Não dê importância, se acaso não tenha o dom da escrita, o fundamental é que você escreva… Quem ler entenderá… a importância não está na forma da escrita e, sim, no ato de escrever, em sua folha em branco, a história da sua vida e sentir o mesmo fascínio que eu sinto agora, escrevendo para você nessa minha folha em branco.”


Interessante não? Nossa vida pode ser a melhor prosa ou a melhor poesia. Cabe a nós, então, escrevê-la de forma a colocar a voz de nosso coração em cada uma das páginas, criando uma obra de valor inestimável a cada segundo em que vivemos.


9 de out de 2011

Teste para o seu cérebro: Para qual lado a mulher gira?


Observe a imagem da mulher girando e responda, para que lado ela gira?

Existem pessoas que inicialmente identificam que a mulher gira para o lado direito e outras para o esquerdo.

Uma explicaçao simples é: se primeiramente você enxergou a mulher girando para o lado direito, significa que você está utilizando mais o seu lado direito do cérebro. Ao contrário, você está utilizando mais o lado esquerdo.

Se você estiver vendo apenas para um lado, por exemplo, o direito, começe a fazer contas mentalmente e fixe o olhar na figura, você verá que automaticamente começará perceber a mulher girando para o lado esquerdo. Se você vê  o esquerdo e quer enxergar a mulher girando para o lado direito, pense em músicas, desenhos, piadas, algo criativo e etc, você perceberá que o sentido irá mudar para o direito.

Pode ser também que no início você estava vendo ela girar para um lado, quando se distraí e olha novamente, pode ser que ela gire para o outro.

É incrível o poder do nosso cérebro!

Divirtam-se!

beijos

Fernanda
fernanda@fernandamion.com

25 de set de 2011

Psicoterapia em grupos, saiba mais:

Neste post quero falar sobre como funciona a terapia de grupo, quais são as vantagens e o que os interessados devem fazer para participar.

A terapia grupal é um ótimo recurso por possibilitar que os participantes experimentem novas formas de ser e estar no mundo. Essa forma de terapia é bastante difundida em outros países, aqui no Brasil nem tanto, talvez pelo fato de que, quando a terapia grupal foi inventada o nosso país vivenciava a era da ditadura militar e dificultava ou até mesmo, proibia todo e qualquer trabalho grupal.

Porém nos dias atuais, a terapia de grupo vem sendo cada vez mais utilizada e com muito sucesso pelos excelentes resultados. É possível encontrar grupos terapêuticos em igrejas, instituições, ong´s, empresas e também em consultórios particulares de psicólogos.

Essa forma de terapia permite que o psicólogo trabalhe com determinadas técnicas que não seriam possíveis em sessões individuais. Isso não significa que o trabalho de grupo seja melhor do que o individual, apenas diferente, pois cada um tem a sua singularidade.

O que torna atraente o trabalho grupal é a interação que se forma entre os participantes. Um aprende com o outro, um equilibra o outro. A sintonia que se forma com o passar do tempo favorece a conquista de resultados efetivos e duradouros. Além disso, é mais econômica comparado a terapia individual.

O número de participantes é de no mínimo 3 (três) e no máximo 08 (oito) pessoas para melhor aproveitamento do grupo.

Os horários dias da semana variam de acordo com o tema do grupo.

As sessões são semanais, com 1(uma) hora e 10(dez) minutos de duração. 

Os grupos poderão ser formados de duas maneiras:

Homogênio: Grupo composto por pessoas que possuem desafios semelhantes:
 - Grupo de adolescentes;
- Grupo de orientação vocacional e profissional;
- Grupo de pais para obterem orientação sobre a criação dos filhos (crianças e adolescentes);
- Emagrecimento
- entre outros...

Heterogêneo: Grupo composto por pessoas com motivos diferentes:

- Dificuldade em se relacionar, conflitos, problemas de auto estima, de auto confiança e etc;


Interessados, entre em contato através dos telefones: (11) 3492-3278 / 94129-3677 (Whatsapp) ou envie um e-mail para contato@harmonieinstituto.com.br



***INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O PRÓXIMO GRUPO****

GRUPO DE PSICOTERAPIA PARA MULHERES
CARE - Controle da Ansiedade e Redução do Estresse

Início em 30/07/16
Público alvo: Mulheres que sentem estresse causado por ansiedade

O Local de atendimento do grupo será na Harmonie Instituto.
Rua Itapura . 414 . Tatuapé . São Paulo - SP
(próximo ao metrô Carrão).

***Encontro todos os sábados, semanalmente das 08:30 às 10:00hs***


Em caso de dúvidas estarei sempre à disposição

Muito obrigada

Fernanda Mion
Psicóloga
fernanda.mion@gmail.com

23 de set de 2011

Psicologia da forma

Durante toda a semana, postei na minha página em uma rede social, algumas fotos como estas:

 

 

Se você observar cada imagem, verá que existe mais de um objeto no mesmo desenho.

É intrigante por ser uma ilusão de ótica, e nos faz pensar: “quem foi que inventou isso”?! “Como alguém pode pensar em algo tão legal assim”?!

Analisando figuras como estas podemos verificar que o inteiro é interpretado de maneira diferente e que a soma de suas partes juntas formam um conceito. E que cada pessoa possui a sua própria percepção.

Existe uma linha da psicologia chamada Gestalt-terapia, também conhecida como "Psicologia da forma". Foi co-fundada pelos então conhecidos como o "grupo dos sete", tendo mais destaque entre eles Fritz Perls, Laura Perls e Paul Goodman dentre os anos de 1940 a 1950.


Gestalt, é uma palavra de origem germânica que significa “forma” ou “figura” e os desenhos servem para reprentar a maneira como o homem lida consigo e com o meio onde vive.
A gestalt terapia lançou suas raízes no Brasil na década de 1970, com uma palestra proferida por Therése Tellegen e posteriormente por um grupo de Gestalt-terapeutas estrangeiros que vieram ao país para contribuir na formação do primeiro grupo de terapeutas nesta abordagem no Brasil


Quando criada, havia uma divergência quanto ao nome que esta abordagem deveria ter, entre muitos nomes foram propostos: Terapia da Concentração, Terapia Integrativa, Psicanálise Existencial, até proporem Gestalt-Terapia que de início causou certo debate, mas que logo foi aceito.


Publicidade da Volkswgen 

Existem muitos psicólogos atualmente que trabalham com Gestalterapia, tanto individualmente como em grupos. Porém a Gestalt deixou apenas de ser uma “área” da psicologia para servir também aos designer´s gráficos, webdesigner, aos que trabalham com marketing, publicidade, arquitetura, artes, moda entre outros. (Veja a imagem ao lado)



Na psicologia existem alguns testes psicológicos que são projetivos e analisam a personalidade. Os mais importantes são:

O teste de Rorschach
O teste de apercepção temática de Murray
O teste do desenho da figura humana

A partir das respostas, procura-se obter um quadro amplo da dinâmica psicológica de cada pessoa, contribuindo para as interpretações do psicólogo em seu processo psicoterapêutico, escolar ou empresarial

E claro que quando postei algumas destas imagens em minha rede social, minha intenção não era de maneira alguma fazer interpretação psicológica das respostas de meus amigos, até porque nenhuma imagem daquela possui esta finalidade. Porém foi gratificante perceber o interesse das pessoas que me pediam para postar mais e mais. Confiram: www.facebook.com/fernandamionpsicologaeconsultora 

Muito obrigada 

Fernanda Mion



14 de set de 2011

Conheça as principais linhas terapêuticas e decida qual a melhor para você:

Fonte da imagem: Google
Se você já procurou por algum profissional da minha área, já deve ter notado que alguns psicólogos são psicanalistas, outros Junguianos, outros trabalham com psicoterapia breve, psicoterapia cognitivo comportamental, outros com Gestalterapia, outros com a Hipnose ou PNL (como eu).

... Mas afinal, qual é a melhor para você? Qual linha de terapia você deve buscar???

Primeiro acredito ser importante ressaltar que estas diferentes linhas terapêuticas são as especializações dos psicólogos, que as escolhem muitas vezes por identificação pessoal. O que é importante salientar é que independente da linha que o psicólogo segue nos processos terapêuticos, todas possuem o mesmo objetivo em comum: "Ajudar" e "acolher" quem nos procura e desenvolver um profundo sentimento de bem estar. Além disso, todas as linhas têm o seu mérito e buscam os resultados para os diversos tipos de sintomas, como por exemplo: Estresse, ansiedade, depressão, fobias,  traumas, conflitos, dificuldades nos relacionamentos, entre outros.

Os diferenciais estão nas técnicas utilizadas, o que determinará a conduta do psicólogo e o tempo do processo terapêutico.

Pretendo neste texto, transmitir algumas informações sobre as mais conhecidas:

Psicanálise: Surgiu através do conhecido Freud. Relacionamos esta linha ao uso do divã no consultório, porém, atualmente muitos psicanalistas deixaram de usá-lo. A técnica de psicanálise busca o autoconhecimento através das associações livres. O paciente fala sobre o que tem vontade ao psicanalista, e este por sua vez, escuta e analisa o significado inconsciente das palavras, ações, sonhos e fantasias de quem os procura. Normalmente a sessão leva 50 (cinquenta) minutos e pode ser realizada mais de uma vez por semana. O tempo do processo terapêutico, varia caso a caso, podendo levar alguns anos. É comum ouvir dizer que uma pessoa está em analise durante 7 (sete) a 10 (dez) anos. Outra informação é que nem todos os psicanalistas são psicólogos. Eles podem ser médicos psiquiatras, matemáticos, físicos ou com qualquer outra formação superior.

Junguiana: Carl Jung foi discípulo de Freud, até desenvolver a sua própria psicologia analítica. Seu interesse são os arquétipos. Segundo Jung temos diferentes tipos dentro da nossa personalidade, e a proposta desta linha terapêutica é a reconciliação dos mesmos. Essa linha é indicada para pessoas com traços ou transtornos de personalidade que causam prejuízos em sua relações interpessoais de modo geral. O tempo do processo também varia de caso a caso. As sessões são semanais em 50 (cinquenta) minutos de duração.

Psicoterapia Cognitiva Comportamental: O psicoterapeuta cognitivo investiga as crenças negativas que as pessoas possuem sobre si mesmas, ajudando o paciente a perceber e corrigi-las para o seu estado melhorar, utilizando diversos tipos de questionamentos. O foco principal na psicoterapia está em descobrir como os problemas (atuais ou não) interferem na vida da pessoa e ajudar a desenvolver maneiras de lidar com eles. O tempo do processo terapêutico com este tipo de terapia costuma ser mais rápido, em aproximadamente 6(seis) meses. Porém tudo depende do problema da pessoa e da forma como ela evolui no tratamento. O processo é semanal com 50 (cinquenta) minutos de duração.


Gestalt terapia: Foi criada por Fritz Perls junto à um grupo de psicoterapeutas na década de 50, propôs uma terapia que fosse focada no tempo presente, "no aqui e no agora", sem muitas interpretações sobre o passado como propõe a psicanálise por exemplo. Esta terapia trabalha as experiências da pessoa englobando: corpo, sentimento, sensações, emoções, pensamentos, sonhos, fantasias, tudo o que esta presente no momento da terapia e na vida. O tempo total do processo depende de caso a caso, é semanal com 50 (cinquenta) minutos de duração.


Hipnose: A psicoterapia com a Hipnose é uma terapia personalizada e específica. Ela entende que por mais que existam semelhanças entre os humanos, a interação e a interpretação que fazemos do mundo é única. Por isso ela é feita sob medida para cada paciente. O terapeuta busca conhecer as palavras, os recursos que os pacientes querem obter para lidar com a situação e as utiliza nas induções hipnóticas, de forma que a mente inconsciente capte e possibilite criar novas maneiras de pensar, de obter novos aprendizados e assim, obter novas experiências na vida. A hipnose é rápida e eficaz e os resultados poderão ser sentidos nas primeiras sessões. As sessões podem ser semanais ou quinzenais com duração de 1 hora e 40 minutos;

Psicodrama:  A psicoterapia com o uso do psicodrama se dá através de dramatizações dos papéis que as pessoas desempenham em seu dia-a-dia. Papéis como pai, mãe, filho(a), líder, empregado, marido/esposa e etc no meio em que se vive. Este tipo de terapia entende que uma maneira de conhecer a si próprio e aos outros, é entender a forma de comportamento assumido em cada papel e como vem agindo nesse meio. O tempo do processo também é variável.

Como você pode notar, cada especialidade tem suas particularidades, mas as premissas para os bons psicólogos são as mesmas: escuta terapêutica, sigilo, vontade em ajudar, acolhimento e amor ao ser humano.

Sua escolha pode ser pela linha terapêutica na qual você mais se identifica, porém o que é mais importante é a sintonia que você encontra no profissional. Se sentir à vontade com o psicoterapeuta é primordial para a obtenção de resultados.

O importante mesmo é procurar help em momentos onde se julgue necessário, ainda mais no mundo conturbado onde vivemos. Cuidar da mente é essencial para se ter uma saúde como um todo e ainda conquistar a tão querida "qualidade de vida".

Nós psicólogos estamos aqui para isso!

Um grande abraço

Fernanda Mion
fernanda.mion@gmail.com

Obs: Cite a fonte caso queira copiar

8 de set de 2011

Metáfora: A águia e a tartaruga

Fonte da imagem: google

Ao sopé de uma gigantesca montanha, confabulando amistosamente, estavam a Águia e a Tartaruga. Falavam sobre superar limites, e atingir objetivos.

A Águia, poderosa rainha dos ares, dizia não haver lugares inatingíveis, e nem metas que não pudesse alcançar. A envergadura de suas asas permitia que fosse a qualquer lugar. Era soberana e tinha a segurança que apenas tem, quem sabe do seu real potencial.

A meiga Tartaruga, a quem a Paciência já havia ensinado grandes lições, falava sem pressa. Contava sobre pequenos detalhes, que, ao longo de sua caminhada, haviam entrado pelos seus olhos, e marcado seu coração.

A Águia, sempre sedenta por aventuras, propôs um desafio à Tartaruga. Subiriam a montanha, para lá do alto, ver o mar. Queria mostrar para sua amiga, o tamanho real do mundo. O horizonte visto do alto, era de uma beleza impar. Empolgada, descreveu o aprendizado que sua alma faminta, já assimilara. A Tartaruga, conhecendo a velocidade de seus passos, soube que este desafio muito lhe custaria. Talvez a metade de sua existência. Mas, queria ver o que havia lá no alto.

Olharam-se, sorridentes, e começaram sua aventura. O farfalhar das asas da Águia, ergueu poeira, e em instantes, sumiu das vistas da Tartaruga. E esta, movendo-se no ritmo que lhe fora conferido pela Vida, foi subindo lentamente. Seu corpanzil pesado tinha muita dificuldade para se mover naquele terreno irregular. Durante o trajeto, muitas vezes tropeçava na falta de experiência, e rolava morro abaixo. Mas, depois de se refazer, recomeçava a caminhada. A trilha era estreita, e muitas vezes, ela parava para dar passagem a outros animais, que subiam ou desciam, e sempre gentil, oferecia-lhes seu sorriso.

Alimentava-se da vasta vegetação, e seu paladar provou novos sabores. Alguns amargos, mas outros absurdamente tenros e macios. Olhando ao redor, para não perder nenhum detalhe, deu-se conta de que havia flores, ornamentando o caminho, e estas, com seu perfume, derramavam alento, dentro de seu coração.

Enquanto a Tartaruga se empenhava em subir, tomando muito cuidado com as quedas, a Águia, há muito já alcançara o topo. Aliás, não demorara quase nada, e agora, no alto de uma frondosa árvore, se perguntava quanto tempo levaria a Tartaruga, para vir a ter com ela. Esperou dias e noites. E aquela paisagem, sempre encantadora, foi tornando-se cansativa, e ela ansiou por sair dali. Precisava alçar vôo, traçar novas metas. Tinha sido tão fácil chegar, e agora se perguntava porque incentivara a pobre Tartaruga a subir. Não seria possível esperar por ela. A Vida se agitava dentro das suas veias, e estagnar significava matar seu espírito. Morreria, se ficasse. Precisava estar em constante movimento, para que suas asas não atrofiassem. Olhou para baixo, e nem sinal da Tartaruga. Então, seu piado forte, cortou o silêncio, enquanto ela cortava o céu, e voou dali.

Anos mais tarde, completamente exaurida, chegou a Tartaruga ao topo. Durante este tempo todo, enquanto caminhava, e quando o cansaço minava as suas forças, era nas palavras da Águia que ela pensava. Veria algo novo. Veria um novo mundo. E este pensamento foi seu alimento. A cada vez que quase sucumbia, tentava visualizar aquele horizonte, descrito pela Águia, e então, cantarolante, começava tudo outra vez.

Seus passos eram constantes. A subida não lhe conferira uma nova velocidade. Muitas vezes, havia sido muito duro, olhar para o alto, e ver o quanto ainda faltava. Então, ela olhava para os lados. E olhava atrás de si. E, orgulhosa constatava que, mesmo que morresse ali, que jamais atingisse seu objetivo, jamais em sua vida, havia feito algo igual.

Faltava pouco agora, para que conhecesse um mundo novo. Mais alguns arbustos e estaria no topo da montanha. Seu coração batia apressado, seu corpo tremia de ansiedade e excitação. Então, a cortina se abriu. Tudo o que tivera até então, não se comparava ao que estava sentindo. Lá estava o horizonte se encontrando com o mar gigante. Ambos se tocavam, numa suave carícia, e o sol, nascia da união dos dois. Vinha saindo, todo matreiro, de dentro do mar, e erguia-se sobre a Terra.

Nesta hora, duas lágrimas suaves, brotaram nos olhos da Tartaruga. Mentalmente agradeceu á Águia, pelo incentivo que lhe dera. Sabia que não a encontraria ali. Sempre soubera. A Águia plantara dentro dela, um par de asas gigantes. Apostara em sua persistência, e graças a ela, a Tartaruga se tornara única, entre todas as Tartarugas.

Com um suspiro emocionado, recolheu-se dentro de seu casco, e dormiu serenamente.

3 de set de 2011

A essência da mente. O livro responsável pela minha escolha por PNL.

Olá tudo bem?

Livro: A Essência da Mente -
Usando o seu poder para mudar
Quero indicar um livro que considero uma obra fundamental para os praticantes da Programação Neurolinguistica (PNL). O livro chama-se "A essência da mente", foi escrito por Steve Andréas e Connirae Andréas, publicado aqui no Brasil pela Summus Editorial.

Ganhei este livro em 2005 de um amigo. Na época eu ainda não atuava com as técnicas de PNL e para ser sincera, nem sabia que tais técnicas existiam com a finalidade terapêutica, muito menos que eu um dia atuaria com as mesmas. O que eu conhecia  da PNL era relacionado a parte teórica, o que já  me permitia citá-la em treinamentos sobre atendimento, relacionamento, vendas e negociação.

Este meu sempre foi muito interessado em assuntos relacionados a comportamento humano, me deu este livro e disse: "Isso sim é terapia"! Eu sem entender, iniciei a leitura enquanto curtia férias.

Você que me lê, não tem idéia de como foi para mim ler este livro, pois me deparei com um verdadeiro manual de como a PNL podia ajudar a vida das pessoas. Descobri como eu gostaria de começar a trabalhar dali para frente.

E foi assim que minha história com a PNL terapêutica começou. A partir daí fui procurar cursos, até chegar ao Master Practitioner e praticar, praticar, praticar...

Hoje me orgulho por ter horas e horas de prática e diversos casos de sucesso com a utilização desta maravilhosa tecnologia terapêutica.

Indico este livro por ser uma obra clássica da Programação Neuroliguistica, uma leitura imprescindível para o aprendizado e vivência aos pressupostos básicos da PNL. Aproveitem!!!

Quero aproveitar e agradecer aos meus pacientes por confiarem em meu trabalho e permitirem-se "usar o seu poder para mudar" através das técnicas de  Programação Neurolinguistica.

Obrigada à todos!

Abraços,

Fernanda Mion

26 de ago de 2011

Metáfora: Você já observou efelefante no circo?



Durante o espetáculo, o enorme animal faz demonstrações de força descomunais.


Mas, antes de entrar em cena, permanece preso, quieto, contido somente por uma corrente que aprisiona uma de suas patas a uma pequena estaca cravada no solo.


A estaca é só um pequeno pedaço de madeira.


E, ainda que a corrente fosse grossa, parece óbvio que ele, capaz de derrubar uma árvore com sua própria força, poderia, com facilidade,arrancá-la do solo e fugir.


Que mistério!


Por que o elefante não foge?


Perguntei a um adestrador e ele me explicou que o elefante não escapa porque está amestrado.


Fiz então a pergunta óbvia:


- Se está amestrado, por que o prendem?


Não houve resposta!


Há alguns anos descobri que, por sorte minha, alguém havia sido bastante sábio para encontrar a resposta:


o elefante do circo não escapa porque foi preso à estaca ainda muito pequeno.


Fechei os olhos e imaginei o pequeno recém-nascido preso: naquele momento, o elefantinho puxou, forçou, tentando se soltar.


E, apesar de todo o esforço, não pôde sair.


A estaca era muito pesada para ele.


E o elefantinho tentava, tentava e nada.


Até que um dia, cansado, aceitou o seu destino: ficar amarrado na estaca, balançando o corpo de lá para cá, eternamente, esperando a hora de entrar no espetáculo.


Então, aquele elefante enorme não se solta porque acredita que não pode.


Jamais, jamais voltou a colocar à prova sua força.


Isso muitas vezes acontece conosco!


Vivemos acreditando em um montão de coisas “que não podemos ter”, “que não podemos ser”, “que não vamos conseguir”, simplesmente porque, quando éramos crianças e inexperientes, algo não deu certo ou ouvimos tantos “nãos” que “a corrente da estaca” ficou gravada na nossa memória com tanta força que perdemos a criatividade e aceitamos o “sempre foi assim”.


De vez em quando sentimos as correntes e confirmamos o estigma: “não posso”, “é muita terra para o meu caminhãozinho”, “nunca poderei”, “é muito grande pra mim!”


A única maneira de tentar de novo é não ter medo de enfrentar as barreiras, colocar muita coragem no coração e não ter receio de arrebentar as correntes!


Vá em frente...


( Autoria desconhecida )

19 de ago de 2011

Como lidar melhor com a ansiedade?

É comum eu ouvir perguntas vindas das pessoas que eu atendo: "O que eu faço para deixar de ser ansioso?" Geralmente, o que eu respondo é: "Quando você descobrir você me conta"! E logo eu explico, ninguém deixa de ser ansioso. Faz parte de todas as espécies na terra. Até os animais sentem ansiedade. Ela tem até um lugar reservadinho no cérebro, lá no sistema límbico ao lado do medo.

O que eu sugiro é que devemos lidar melhor com ela e conforme vou escrevendo, vou te contando como.

A ansiedade está no futuro, é uma preocupação com que pode acontecer, mas não significa que vai acontecer. É diferente do medo neste sentido, pois o medo está no momento presente, exemplo: Vi um ladrão, senti medo. Achei que pudesse ser um ladrão, senti ansiedade.

Saber diferenciar o que é medo de ansiedade nos possibilita perceber e reconhecer quando este sentimento de ansiedade está agindo no momento. A partir daí, é importante ressignificar os pensamentos de preocupações por novos. Lembre-se que podemos modificar este sentimento, alterando a linguagem dos pensamentos, alterando a fisiologia, movimentando-se para fazer coisas diferentes, tirando assim o foco da atenção em qualquer tipo de preocupação.

Outro dia escutei minha avó dizer: "Nós temos que nos preocupar com as coisas! Daí eu pensei: "Quem foi que disse isso para ela? Ainda bem que logo em seguida ela falou: "Se bem que quem se preocupa demais com as coisas sou eu, preciso melhorar isso".

Proponho substituir "preocupação" por "atenção". Tenho que me atentar a esconder o dinheiro quando realizo um saque no caixa eletrônico, ou seja, utilizar a ansiedade a nosso favor, pois é para isso que ela serve. A ansiedade e o medo são semelhantes aí, por que a função deles é nos preservar, nos proteger e não ser mais um vilão.

Já li muitos textos e já ouvi muitas pessoas dizerem que a ansiedade faz parte da nossa atualidade, concordo, até por que basta assistir 5 (cinco) minutos de jornal para se deparar com situações totalmente adversas, que podem abalar qualquer ser humano, porém se nós estudarmos um pouco mais sobre antropologia e história, é possível perceber que a ansiedade já existe desde que o mundo é mundo. Imagine uma época onde não existia nada, há milhares de anos atrás, onde os nossos ancestrais não tinham casa e nem as ferramentas que nós temos hoje para construir lares. Se elas não se "atentassem" e não sentisse ansiedade, elas seriam presas fáceis para um predador solto pelo mundo atacá-las a qualquer momento. Nos animais, imaginem um peixinho pequeno no meio do oceano, o nível de ansiedade sentida, afinal, ele pode ser ingerido por um peixe enorme a qualquer momento.

Em nossa linguagem, a ansiedade aparece muito quando nos questionamos: "E se"... exemplo: "E se eu disser isso e ela não gostar?", "E se eu não conseguir aprender?", "E se não der certo?"... perceba que é uma preocupação com o que pode acontecer? Daí para modificar este padrão de linguagem e alterar os sentimentos que sucedem este pensamento, é importante se "atentar" ao preparo para minimizar as possíveis falhas e alterar o pensamento para "E se der certo"? Contar com a possibilidade de dar certo, muito mais do que com a possibilidade de dar errado!

Isso certamente minimizará a nossa ansiedade e fará com que utilizemos este nosso institinto de preservação ser o que é para ser: Nosso protetor! Ser aquele que diz: se prepara, se cuida, se atente.

E se ainda assim, ficar difícil controlar a ansiedade e minimizar os seus efeitos, eu recomendo que seja procurado ajuda de profissionais especializados. Afinal, se muitos conseguem conviver pacificamente com a ansiedade, porque outros não conseguem? Nestes casos ajuda é bem vinda!


Um grande abraço
Fernanda Mion


O que acontece na primeira consulta psicológica | Vídeo com a psicóloga Fernanda Mion

Olá, tudo bem? Neste vídeo eu conto para vocês o que acontece na primeira consulta psicológica. Sei que ir a uma consulta pode ser motiv...

Postagens mais visitadas